Skip to main content
Uncategorized

Brasil: enfim, férias para advogados criminalistas

No Brasil, a Ordem dos Advogados [Nacional] considera vitória para os advogados criminalistas o teor da alteração legal, que entrou em vigor a 2 de Junho do corrente, segundo a qual e por alteração ao Código de Processo Penal, foram suspensos os prazos processuais por razão de férias «entre 20 de Dezembro e 20 de Janeiro», salvo excepções de compreensível urgência. Ver a notícia aqui.

Eis o texto modificado pela Lei n.º 14365, de 2 de Junho de 2022 [ver aqui]:

«Art. 798-A. Suspende-se o curso do prazo processual nos dias compreendidos entre 20 de dezembro e 20 de janeiro, inclusive, salvo nos seguintes casos:

I – que envolvam réus presos, nos processos vinculados a essas prisões;

II – nos procedimentos regidos pela Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006 (Lei Maria da Penha);

III – nas medidas consideradas urgentes, mediante despacho fundamentado do juízo competente.

Parágrafo único. Durante o período a que se refere o caput deste artigo, fica vedada a realização de audiências e de sessões de julgamento, salvo nas hipóteses dos incisos I, II e III do caput deste artigo.»

Os trinta dias de férias para os advogados civilistas já haviam decorrido da alteração introduzida no Código de Processo Civil de 2015 [ver aqui e, por exemplo, aqui].

A Lei Maria da Penha [ver aqui] versa sobre violência doméstica. Sobre Maria da Penha e seu caso lendário que levou à aprovação da lei que passou a ter o seu nome, veja-se aqui.

+

Fonte da imagem aqui

Deixe o seu comentário

Follow by Email
Facebook
Twitter
Whatsapp
LinkedIn